Adeus 2013, Olá 2014

2013 já lá vai, e apesar de ter o Treze como número forte, foi um ano muito positivo para o panorama musical, não só internacional, mas também para o que se fez por terras de Camões.

Samuel Úria não teve medo do pequeno mundo e abriu o ano com aquele que é considerado como a sua master piece. Márcia, saiu do casulo e melou-nos o coração com um disco acolhedor e melodioso. David Santos em modo Noiserv orquestrou-nos um recital acústico que certamente não vai sair das nossas grafonolas tão cedo. Os barcelences The Glockenwise deram-nos mais do mesmo com Leeches, um disco curto, mas com muita energia e muito punk rock, mostrando-nos que o rock não morreu nem morrerá. Os Peixe:Avião deram-nos um disco homónimo que define uma sonoridade e afirma definitivamente o colectivo bracarense como uma das maiores referências da música nacional. Turbo-Lento marca o regresso aos discos dos já míticos Linda Martini… E que regresso… Um disco mais de canções e menos de instrumentais, mas que nos prende, e prende, e prende. Os lisboetas JUBA deram-nos um excelente visão do rock psicadélico, mostrando que em Portugal também se faz rock alternativo de grande qualidade. O mesmo aconteceu com os Riding Pânico preenchendo uma vez mais o espaço que o rock alternativo nos oferece assombrando-nos com o seu Homem Elefante. João Correia trouxe-nos um novo projecto, que rapidamente o deixou de ser e passou a certeza e garantia de qualidade com o seu TAPE JUNk, dando-nos um disco com uma enorme nota artística e fantásticos momentos ao vivo. Não podemos fechar o ano sem referir o mais bem disposto projecto da música nacional, a Xungaria no Céu proporcionou-nos um disco alegre, festivo, um tanto ou quanto quiche, mas a cima de tudo, divertido e composto por amigos que vivem para a música.

Todos juntos foram interpretes de um elenco de luxo que marcou definitivamente a música nacional pela sua qualidade e independência.

Mas 2014 dá-nos garantias que será no mínimo tão bom como 2013. E como o ano começa em Janeiro, Capitão Fausto e You Can’t Win, Charlie Brown têm disco novo prontinho a sair. A coisa não esmorecerá durante o ano, Março trará o regresso de The Legendary Tigerman trazendo um disco inédito, que marcará a estreia de um baterista para rechear ainda mais o bolo com que Paulo Furtado nos enfarta.

Os Buraka Som Sistema também vão-nos chegar com mais uma bomba de ritmos afro associados às novas tendências das pistas, o que promete mais um vendaval frenético para aquecer o verão de 2014. A cena hip-hop também estará bem representada em 2014, com o anunciado regresso aos discos da desconcertante Capicua agendado para Março e que se irá chamar “Sereia Louca”. Sam The Kid promete-nos também Beats Vol. 2, um muito esperado regresso de um dos artistas que mais defende a cena hip hop nacional.

2014 também nos dará pesos pesados. Os Bracarenses Mão Morta trarão consigo mais rock puro, duro e cru, tal como nós gostamos, e os Dead Combo dedilharão as guitarras novamente para aumentar ainda mais a nossa Portugalidade.

Os Paus também têm novo disco, mas desta feita, sob a etiqueta “El Segell del Primavera”, o que dará à banda lisboeta a dimensão necessária para a sua internacionalização, algo que já aconteceu já no fim de 2013 com uma digressão por alguns clubes Espanhóis.

Com tudo isto, temos uma certeza, a crise não afecta a criatividade da nossa massa artística.

Previous post
Escolhas 2014
Next post
Reportagem Mallu Magalhães . Casa da Música
Back
SHARE

Adeus 2013, Olá 2014