O Lendário Homem-Tigre

2001 não foi o esperado ano da Odisseia no Espaço, mas sim o ano do nascimento de um dos mais mediáticos símbolos do panorama musical actual. Paulo Furtado dá então início a The Legendary Tigerman depois de um ano antes, arrancar com os Wraygunn, e continuar o legado deixado pelos seus Tédio Boys.

Sempre acompanhado pelo Rock & Blues, Paulo Furtado mostrou ser um verdadeiro resistente, convicto dos seus ideais, e certo que quem trabalha triunfa. Não foi com Naked & Blues que garantiu o reconhecimento, mas foi ele que despertou os ouvidos atentos de quem não dorme e de quem tem sempre o ouvido aberto para o talento e genialidade.

Em Fuck Christmas, I Got The Blues e em Masquerade, Paulo Furtado decide dar continuidade à sua linha de pensamento e aquilo que entende ser o seu estilo. Sempre muito próximo do Rock e do Blues, é em Masquerade que as fronteiras do preconceito começam a ser derrubadas, sem que Paulo Furtado alguma vez se tenha vendido a sonoridades mais populares e para ouvidos mais duros. Route 66, Honey, You’re Too Much ou The Whole World’s Got The Eyes On You passaram a ser habitués nas rádios nacionais trazendo à tona da fama o que de melhor se faz por pela música em Portugal.

Após um interregno de 4 anos, onde seu Homem Tigre hibernou e vestiu o fato de homem forte de banda, e aproveitou para viajar com os seus Wraygunn até Shangri-la, um dos registos de maior sucesso do colectivo liderado por Paulo Furtado.

Em 2010 Femina chega-nos para mostrar um ideal diferente, não na orientação musical, mas sim no conceito de one man band. Paulo Furtado juntou-se a 12 senhoras e realizou um disco reconhecido pela generalidade da crítica.

Asia Argento, Maria de Medeiros, Peaches, Becky Lee, Rita Redshoes, Cais Sodré Cabaret, Lisa Kekaula, Cláudia Efe, Phoebe Killdeer, Cibelle, Mafalda Nascimento e Cibelle preencheram a vida Paulo Furtado e transformaram o Homem só num verdadeiro “garanhão” que mostrou o lado feminino do Rock.

2014 é ano de True, e podiamso estar diante de um regresso às origens, mas Paulo Furtado decidiu trazer para o disco uma bateria, e a aquisição de Paulo Segadães (Vicious Five e Men Eater) traz à carreira de The Legendary Tigerman a crueza do Rock e o impulso necessário para que este não seja um regresso orfão das Senhoras de Femina.

Hoje ficamos a conhecer o videoclip de Do Come Home, primeiro avanço de True e que já rola nas rádios nacionais.

Previous post
Domingo da Preguiça...
Next post
Coldplay... a sério?
Back
SHARE

O Lendário Homem-Tigre